O sistema antipirataria da Nintendo em 1985


Com a chegada do Family Computer Disk System, acessório que permitia utilizar disquetes como mídia no Nintendo, a empresa precisava arrumar um meio de evitar a cópia ilegal de seus jogos.

O desenvolvimento de tal periférico saiu do papel para permitir jogos maiores àqueles encontrados em cartuchos. A tecnologia utilizada não poderia mudar, afinal de contas tratava-se da ação de usar um disquete num leitor apropriado.

A saída encontrada pela Nintendo foi muito boa e engenhosa: uma simples marca em baixo relevo no disquete, que forma a palava “nintendo”, permitia um encaixe perfeito apenas nos leitores exclusivos para o videogame.

O dispositivo fez com que muita gente desfrutasse de jogos mais complexos ou compridos. As pessoas poderiam utilizar disquetes originais virgens e “comprar” jogos em quiosques gravadores que a Nintendo disponibilizava em alguns pontos de venda.

Embora tenha durado pouco tempo no mercado e não tenha impedido, de maneira plena, a pirataria, devemos reconhecer o esforço, pioneirismo, criatividade e influência da Nintendo no mundo dos videogames.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s