Carol Shaw, a primeira mulher programadora de jogos


Por sua própria vontade, Carol Shaw não segue o esteriótipo da mulher americana.

Ela tinha pouco interesse por bonecas quando criança, preferindo brincar com os trenzinhos miniatura de seus irmãos. Na escola, ela tinha orgulho de se destacar em matemática e encontrou seu rumo no curso de ciências da computação, um campo de trabalho repleto de homens por volta de 1970. Continuar lendo